AULA ON-LINE 100% GRÁTIS

Como Ser Pago Para Criar e Vender Seu (Info)Produto do ZERO Em Até 30 Dias SEM Cair na Conver$a dos “Gurus” do Marketing Digital

Assista a aula gratuita e receba um Incentivo Especial para você iniciar hoje mesmo!

Marketing Digital com Ética: É Possível?!

etica

A quem você vai dar ouvidos?

Queria compartilhar uma coisa que aconteceu comigo e me deixou muito incomodado.

Encontrei este post no site Escola de Blogueiros em português que é praticamente igual a este outro do Ryan Deiss, no blog Digital Marketer (que aliás vale muito a pena seguir!).

Eles falam de Otimização do Valor do Cliente.

O post em português usa praticamente o mesmo texto e figuras traduzidas e não faz NENHUMA referencia ao post nem ao autor original.

Então quem está lendo, desavisado, acha que ele é “o cara” que montou aquele sistema.

(O pior…. eu estou acompanhando outros “marketeiros brasileiros” e percebi que vários deles estão fazendo a mesma coisa. Como eu também sigo os “marketeiros gringos”, fica cada vez mais claro que os brazucas estão basicamente copiando o que eles estão aprendendo lá fora – até aí, nada de errado – mas muitas vezes ‘esquecem’ de dizer isso e falam apenas ‘olha esse método sensacional e lucrativo que EU desenvolvi’)

Já tem uns dias que eu fiz um comentário abaixo do post, agradecendo pela “tradução” desse artigo tão valioso, pois eu realmente acho que ele fez um boa ação em colocar esse conteúdo em português (mas também queria ver se o autor “se tocava” e editava o post para citar devidamente a fonte).

Só que os comentários são moderados, então o meu não foi automaticamente publicado.

Depois de mais uns dias eu fui na página de Contato e perguntei quando seria feita a aprovação (ou rejeição).

Na mesma tarde recebi um retorno por e-mail dizendo que vários comentários tinham sido aprovados e que o meu poderia está no bolo.

Nada.

O curioso é que meu penúltimo post foi justamente uma tradução que fiz de um ótimo artigo do IMImpact.com, sobre 3 tipos de configuração de funil para geração de leads.

E a primeira coisa que eu fiz foi citar quem era o “pai da criança”.

Para mim, é anti-ético eu me “apropriar” dos textos ou das ideias de alguém sem citar a fonte, mesmo que estejam postadas em um blog na internet sem nenhum tipo de restrição.

Não sei se é por causa da cultura de participação em comunidades open source, ou da prática em citar as fontes quando escrevemos artigos e trabalhos acadêmicos.

Ou simplesmente pelo exemplo de ética e honestidade que tenho em meu pai.

 

Para Refletir…

=> Será que a busca pelo sucesso ou dinheiro faz a gente “esquecer” os valores fundamentais de ética, honestidade e respeito?

=> Será que as pessoas estão agindo de má fé ou apenas são “atropeladas” pela velocidade do mundo moderno e passam batidas pelas questões “menos importantes”?

=> Será que Marketing e Ética podem andar juntos?

=> Será que o errado sou eu, em sempre citar a origem do aprendizado que estou compartilhando, sem tentar vender ilusões que é tudo super-fácil e qualquer um pode ficar rico da noite para o dia sem ter trabalho algum?

Errado ou não, vou continuar fazendo o que acredito, com ética e respeito pelas pessoas.

 

E você, o que pensa sobre isso tudo? Ficarei feliz em saber.

 

Nota: Este texto foi encaminhado originalmente para a lista de assinantes do Marketing4Nerds. Esperei uma semana para ver se meu comentário no Escola de Blogueiros seria aprovado ou se o post seria revisto para citar a fonte. Nenhum dos dois aconteceu.

Compartilhe

GOSTOU DO POST?

Então tá na hora de entrar em campo e AGIR! Só estudando você não chega a lugar nenhum.

Clique no botão e vou te ensinar o PRIMEIRO PASSO que você precisa para vender pela internet.

Serge Rehem
 

Sou analista de sistemas e fundador do Marketing4Nerds e Escola Bitcoins, apaixonado por aprender, praticar e disseminar conhecimentos de formas simples, objetiva, didática e sincera. Diferente de muitos "gurus" por aí, não acredito nem vendo o sonho de "ganhar dinheiro fácil até dormindo". Gosto ensinar coisas complicadas de um jeito simples, para que todo mundo entenda.